Guillermo Piernes
GUILLERMO PIERNES

Home
Home

Autor do Site
Autor del Sitio

Crônicas
Crónicas

Contos e Poemas
Cuentos y poemas

Artigos
Artículos

Escritores e Artistas
Escritores y Artistas

Índice
Índice

Links
Links

Contato
Contacto

Correio dos Leitores
Correo de los Lectores

Guillermo Piernes
GUILLERMO PIERNES
Contos e Poemas
Cuentos y Poemas
Duas paixões - Guillermo Piernes

12/07/2020




Duas paixões

Por Guillermo Piernes **

Reila, morena de derreter o asfalto, morava com Tião no Rio das Pedras, a alguns quilômetros do clube Itanhangá, no Rio. Ele trabalhava cuidando do campo e jogava no dia de folga. Reila tinha todas as qualidades femininas e duas características: era compulsiva por limpeza e ciumenta. Tião tinha um monte de defeito dos homens e duas paixões: a morena e o golfe.

Durante muito tempo, Tião foi juntando bolas de golfe perdidas no campo. Era seu orgulho, além de ver os outros homens se engasgarem ao assistir o rebolado caminhar da sua morena. Quase 1.200 bolas de golfe. Todas brancas e limpas, guardadas num canto da sala.

Quando você vai tirar esse lixo da sala, era a pergunta cotidiana que Tião escutava enquanto lavava e escovava as bolas, que às vezes acariciava com um pano até recuperarem o brilho.
Ao fazer a limpeza perto do fim do ano, Reila ordenou:
-- Tira esse lixo, já!

Tião fez de conta que não ouviu, enquanto fazia a barba antes de ir jogar o seu golfe semanal. A morena empurrou a caixa até a janela, levantou-a com muito esforço e lançou as bolas na rua. Tião correu até a janela e viu suas bolas de golfe quicando e rodando ladeira abaixo, livres, soltas, por caminho desconhecidos.

Cego de raiva, mas bem equilibrado nas pernas semiflexionadas, girando os ombros e completando o swing, Tião deu um tapa na mulher amada. O primeiro e o último. Mas deu. A morena caiu sentada no chão. Tião ficou imóvel no meio da sala, petrificado perante o choque de suas paixões. A morena no acreditava no que tinha acontecido. Chorando, ligou para a vizinha casa dos irmãos.
-- Tião me bateu!

Os três irmãos, todos caddies, logo chegaram à casa da irmã agredida, suando e bufando.
Tião se viu rodeado pelos três homens, um dos quais de mais de 1,90 metros de altura.
-- Você deu um tapa na Reila, perguntou o grandalhão.

Tiâo achou que estava pronunciando suas últimas palavras quando respondeu:
-- Sim bati nela...

Quase sem voz, agregou:
-- Dei um tapa na sua irmã porque ela jogou fora todas minhas bolas de golfe.

Os três irmãos se viraram para a morena:
-- Você esta louca...como fez uma coisa dessas, gritou o mais velho.
-- Se fosse comigo te jogava pela janela, sentenciou o menor.

Um segundo depois, os quatro saíram correndo ladeira abaixo para recolher a maior quantidade possível de bolas, disputando com as crianças do bairro.

A morena ficou sozinha na sala, petrificada. Tinha a bochecha esquerda ardendo e lágrimas nos olhos. Sabia que o perdão demoraria, mas seria inevitável. Esses quatro homens, seus amores, seus afetos, eram de um outro mundo chamado golfe.

** Guillermo Piernes, escritor e jornalista. Mais informações em O Autor
(Crônica originalmente publicada no livro Tacadas de Vida)
Crédito: Pintura Miki de Goodaboom - Fine Art America



[ VOLTAR ]
Textos protegidos por Copyright - Guillermo Piernes 2020