Guillermo Piernes
GUILLERMO PIERNES

Home
Home

Autor do Site
Autor del Sitio

Crônicas
Crónicas

Contos e Poemas
Cuentos y poemas

Artigos
Artículos

Escritores e Artistas
Escritores y Artistas

Índice
Índice

Links
Links

Contato
Contacto

Correio dos Leitores
Correo de los Lectores

Guillermo Piernes
GUILLERMO PIERNES
Artigos
Artículos
A tutela militar no Brasil - Carlos Marchi

10/07/2021 00:00




­A tutela militar sobre governos civis no Brasil

Por Carlos Marchi **

A famigerada tutela militar sobre os governos civis brasileiros vem do século 19.

Iniciou-se quando Caxias, no comando do exército, aplacou as revoltas dos anos 30 e 40 do século 19.

A bem dizer, o governo imperial passou a "dever" a unidade brasileira à ação dissuasora das forças armadas.

Pouco tempo depois veio a guerra da Tríplice Aliança e as forças armadas passaram a encarnar a própria Nação brasileira.

Formou-se, na preparação para a guerra, a descompensada dívida externa brasileira.E o governo imperial não fez nada para conter a intromissão dos militares na política, até sofrer o golpe militar de 89.

Uma vez no governo, os militares sentiram o gosto do poder, governando de forma discricionária e arbitrária. No século 20 formou-se o caráter aventureiro - a revolta de 22, a coluna Prestes, o golpe de 30. Vargas inaugurou a utilização deletéria do uso militar como argumento de força política.

Nos anos 40 e 50, houve a bipartição dos militares entre nacionalistas e direitistas, pró-EUA. O resto é recente: a tentativa frustrada de golpe em 55, o golpe desferido em 64.

A adoção de um sistema de freio só veio nos anos 90, com a criação do Ministério da Defesa e a neutralização da tutela.

Mas o vírus da tutela foi novamente despertado por Temer (N.R. presidente Michael Temer), que escalou um militar para o Ministério da Defesa.

Com Bolsonaro (N.R.o presidente Jair Bolsonaro) surgiu o "meu exército" - as forças armadas como instrumento de governo, e não de Estado.

Urge colocar como meta do Brasil democrático uma reforma profunda das forças armadas, baseada em 3 pontos:

1) Adequação às necessidades estratégicas contemporâneas;
2) Redução drástica do número de militares na ativa;
3) Dar-lhes formação inarredavelmente democrática.

Não é cabível, no século 21, o Brasil ter uma instituição armada com pensamento, conteúdo e estratégia do século 19.

** Carlos Marchi ** Premiado jornalista e escritor brasileiro. Autor de Senhor Republica e Aquele imenso mar de liberdade
Foto de presidentes militares - Jovem Pam


[ VOLTAR ]
Textos protegidos por Copyright - Guillermo Piernes 2021